Mente & Corpo: Relação entre hormônios, comportamentos e emoções

Taís Santos

Taís Santos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Email
WhatsApp

Mente & Corpo: Relação entre hormônios, comportamentos e emoções

Geralmente quando inicio atendimentos com grandes sintomáticas no corpo, indico que o cliente busque também uma avaliação clínica, geralmente hormonal e vitamínica. Esse conjunto no geral pode produzir diversos efeitos sobre comportamentos e emoções quando em desequilíbrio. Vamos entender um pouco?! Primeiro é preciso entender que os hormônios são substâncias produzidas pelo nosso corpo em glândulas e tecidos específicos. Quando liberados no sangue, percorrem o corpo levando “diversas mensagens químicas”, interligando e comunicando diversas situações biológicas. Cada hormônio leva mensagens especificas e de acordo com sua composição o corpo “funciona” em acordo. Vamos conhecer os principais hormônios relacionados ao comportamento e emoções?!

Ocitocina “O hormônio do amor”- Relacionada as sensações de prazer, amor, costuma ser liberada em situações de afeto, abraços, aumentando a libido, aliviando o estresse e a ansiedade e melhorando as habilidades sociais.

Tireoidianos T3 e T4 “O hormônio do metabolismo” – Regulam o metabolismo no geral, relacionam-se  a frequência cardíaca, pressão arterial, a quantidade de cálcio no sangue, as concentrações de colesterol, transpiração, entre outros. Quando em desequilíbrio, trazem várias implicações ao corpo e ao comportamento.

Grelina e Leptina “Os hormônios da fome” – Produzidos nas células do estômago e pâncreas.   A grelina gera a sensação de fome e incentiva a ação para que você acabe com ela. Quando se come, aí é a vez da Leptina, que dá a sensação de saciedade e faz o controle da ingestão.

Cortisol “O hormônio do despertar”- Produzido no córtex das glândulas suprarrenais, é o hormônio que nos faz acordar todas as manhãs. Ele também é considerado o “hormônio do estresse” já que tem a função básica de preparar o corpo para situações de estresse e nos ajudar a enfrentá-las.

Adrenalina e Noradrenalina “Os hormônios da ação” – Elas preparam o corpo para grandes esforços físicos, para luta ou fuga! São liberadas em grande quantidade em situações de medo, susto ou estresse. Estimulam o coração a bater mais rápido e forte, levando mais sangue a órgãos vitais, elevam a tensão arterial, contraem alguns músculos e relaxam outros, dilatam a pupila para aguçar a visão, aceleram a respiração para que haja maior captação de oxigênio, elevam a taxa de açúcar no sangue, diminuem a digestão para focar a energia do corpo (o que dá a sensação de “frio na barriga”).

Testosterona “O hormônio do sexo” – É um hormônio sexual, produzido nos testículos (nos homens) e nos ovários (nas mulheres), mas vai muito além dessa atuação. Pessoas com alto grau de testosterona aceitam correr mais riscos, têm mais autoconfiança, são mais rudes, inquietas, sorriem menos, mais impulsivas, menos pacientes para estudar, analisar ou trabalhar.

Assim, muitas das queixas comportamentais e no conjunto geral de emoções podem estar fortemente relacionadas as funcionalidades e regulação hormonal. É preciso estar atendo que uma ajuda profissional não se sobrepõe a outra, diversas facetas dos comportamentos e emoções devem ser tratadas psicologicamente, para garantir satisfação e estilo de vida que promovam o autoconhecimento e bem-estar.

Fonte: https://www.institutoconectomus.com.br/hormonios-influenciam-no-comportamento/

Compartilhe
Facebook
Twitter
LinkedIn
Email
WhatsApp

Leia Também

autoconhecimento
Aline Concencio

Chegou 2021

A tão esperada passagem de ano aconteceu e agora estamos aguardando as boas novas, mas será que só isso é o suficiente? Será que a

Leia Mais

Deixe uma resposta

Fechar Menu