Vamos falar sobre Bullying?!

Taís Santos

Taís Santos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Email
WhatsApp

Vamos falar sobre Bullying?!

A palavra “Bullying” deriva de “bully”, palavra em inglês que significa “valentão, pessoa brigona”. Os comportamentos de bullying se apresentam buscando ameaçar, intimidar, agredir, humilhar o outro, podendo ocorrer de maneira verbal ou fisicamente, sendo contínua, podendo incluir ou não outras pessoas. No caso do cyberbullying, a ideia é a mesma, porém os comportamentos são emitidos por meio da internet, onde o espaço e a identificação, por exemplo, são menos controlados, e a disponibilidade e alcance são ainda maiores.

O bullying pode ocorrer em diversas situações e contextos, sem distinção de classes sociais, no meio familiar, acadêmico, escolar, social até de trabalho. Nem sempre é possível verificar motivações ou justificativas, trata-se de um fenômeno humano/social que atualmente afeta em grande maioria os adolescentes.


Para efeitos de cuidados em situações de bullying que já ocorreram é preciso considerar agressor e vítima. No caso do agressor revela-se como este individuo lida e expõe suas próprias angustias, raiva e insegurança, semelhante a uma fuga, ou alivio de sofrimentos e problemas. Pode representar determinada satisfação pessoal, de autoridade e soberania. Em outros casos, pode ser uma maneira de reproduzir comportamentos familiares ou mesmo se manifestar a partir de muitas outras variáveis.


Com relação a vítima faz-se necessário abarcar todo o nível traumático gerado, prejuízos, situação de vulnerabilidade gerada, sistema de apoio (amigos, familiares, profissionais), representações e estratégias de enfrentamento. Algumas vítimas, por exemplo, buscam aliviar sua problemática emocional reproduzindo os comportamentos de violência, outras apresentam fragmentações tão severas que conduzem a sintomas psicossomáticos ou mesmo ao suicídio.


Sobre o acompanhamento psicológico é possível utilizá-lo tanto para vítimas quanto agressores, bem como para aqueles envolvidos de forma geral, pais, familiares, professores entre outros. A psicoterapia proporciona um espaço seguro para a busca de resolução e alivio de forma saudável e segura, é necessário verificar todo o contexto e ambiente em que os jovens estão inseridos para prevenir a ocorrência e tratar, quando do caso, as consequências do bullying.

Compartilhe
Facebook
Twitter
LinkedIn
Email
WhatsApp

Leia Também

autoconhecimento
Catiane Giocondo

BBB e ENTRETENIMENTO

Entenda porque o entretenimento “BBB” cativa os espectadores e qual é a dinâmica por trás desse contexto com diversidade de personalidade.

Leia Mais

Este post tem 5 comentários

  1. Este é um tema muito importante, sempre vejo as mães e crianças falando sobre as coisas horríveis que crianças e jovens fazem uns aos outros e as vezes ficamos sem entender essa situação.

    1. Olá Marli, que bom que gostou! De fato jovens e adolescentes vivem em determinada vulnerabilidade, ainda mais quando falamos no tema, cabe aos adultos de referência e profissionais auxiliarem neste processo quando percebido algo disfuncional.

    1. Thank you

Deixe uma resposta

Fechar Menu